Custos de importação

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin

Os produtos importados, sejam máquinas, equipamentos, matérias primas, partes e peças, insumos em geral, incorrem em vários custos no processo de aquisição, logística e desembaraço aduaneiro, até entrega final no destino.

É importante o importador saber negociar com seus fornecedores e também negociar com os prestadores de serviços nas áreas de logística e desembaraço aduaneiro, incluindo negociação de fretes internacionais, seguro, transporte e demais serviços.

Importante também é conhecer o fornecedor ou fornecedores, seus produtos, imagem no mercado, qualidade, capacidade de entrega no prazo combinado, condições de pagamento, INCOTERM, prazo de fabricação, prazo de entrega, garantias quanto à qualidade e aplicação dos produtos, etc.

Os cuidados das negociações e busca de garantias e segurança dependerá muito da natureza da compra, do equipamento, da matéria prima, da aplicação do produto e suas consequências para o importador e para o mercado consumidor.

Produtos como medicamentos têm especificações críticas e não permitem qualquer desvio ou tolerância, qualidade é essencial e absoluta na negociação. Mesmo se aplica a matérias primas para uso industrial que exijam especificações rigorosas e mesmo críticas. Isso exige investigações preliminares do fornecedor quanto à sua capacidade de produção e entrega na qualidade exigida. Exige-se também embalagem apropriada a cada tipo de produto para garantir sua integridade durante o embarque no exterior, trânsito internacional e tramitação aduaneira.

Além do custo da mercadoria que constará da fatura do fornecedor, o importador incorrerá em vários outros custos, impostos e taxas até receber a mercadoria em seu depósito industrial ou comercial.

Valor da mercadoria importada é composto basicamente de:

FCA – FOB – valor da mercadoria free on board no caso de embarque marítimo e FCA no caso de embarque aéreo, valor constante da fatura ou invoice;

FRETE – valor do frete aéreo ou marítimo constante dos respectivos conhecimento de embarque B/L ou AWB;

SEGURO – valor do seguro da mercadoria importada;

CIF – valor da mercadoria com frete e seguro ( cost, insurance, freight)

Os impostos de importação e demais custos aduaneiros são calculados sobre o valor CIF da
mercadoria importada.

Impostos, taxas e demais custos para desembaraço aduaneiro de importação:

II  – Imposto de importação geralmente ad-valorem sobre o valor CIF da mercadoria

– Percentual variável conforme classificação fiscal da mercadoria por posição NCM na TEC – TARIFA EXTERNA COMUM.

– Alíquotas variam de 0% a 35% e até mais, sobre valor CIF da mercadoria.

IPI – imposto sobre produtos industrializados, incidente sobre o valor CIF + II;

– Alíquotas variam de 0% a 50% ou mais sobre valor CIF + II.

PIS – calculado sobre o valor aduaneiro ou CIF

COFINS – calculado sobre o valor aduaneiro ou CIF

ICMS  – calculado “ por dentro” sobre valor CIF da mercadoria todos os impostos acima e o próprio ICMS ( cálculo por dentro).

No caso de S.Paulo, alíquota ICMS 18% o cálculo da base será ( CIF+II+IPI+PIS+COFINS)/ 0,82 e sobre este valor se calcula o imposto de 18%.

AFRMM – adicional de frete para renovação da marinha mercante, alíquota de 25%  sobre o valor do frete marítimo.

ARMAZENAGEM – é cobrada como percentual de 0,25% a 0,30% sobre o valor CIF da mercadoria pelo primeiro período de 10 dias, com aumento substancial e em dobro nos períodos seguintes, sempre por período ou fração, além de movimentação da carga in/out, inspeção e várias outras taxas. As taxas variam de armazém na zona primária ou zona secundária, podendo ser maior que as indicadas acima.

DESPESAS PORTUÁRIAS OU AEROPORTUÁRIAS – com base no peso e cubagem da carga.

TRANSPORTE RODOVIÁRIO – calculado na base peso e cubagem, o que for maior, variando conforme distância entre ponto de carregamento e entrega, havendo ainda cobrança de 0,10% a 0,13% sobre o valor da carga conforme NF Nota Fiscal de Entrada que acompanha toda mercadoria.

OUTRAS DESPESAS   – várias outras despesas como capatazias, taxa de B/L, desconsolidação, Inspeção de madeira, scanner, desembaraço aduaneiro, devolução de container, etc.

Além dos impostos, taxas e custos acima, o importador deverá pagar a fatura emitida pelo fornecedor do exterior, fechando o câmbio e fazendo a remessa bancária, com débito imediato em sua conta pela taxa de câmbio do dia do pagamento.

Share

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin

Related content

STF em breve se posicionará sobre eventual (in)constitucionalidade das medidas atípicas de pressão para recuperação de créditos

A possibilidade de aplicação de...
WP Feedback

Dive straight into the feedback!
Login below and you can start commenting using your own user instantly